Sopa de letrinhas

Sopa de letrinhas

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Mais uma de amor

Há um momento em que eu te olho
E te vejo outro:
Transmutou-te. Louco.
Teus olhos brilham mais;
Admiro tudo que te faz.
Me percebo incapaz
De não beijar-te.
Esta é a melhor parte:
O momento em que te olho
E vejo obra de arte.
Acho esquisito,
Tento entender.
Me apresso a escrever,
Mesmo sem sentido.
Teus créditos comigo
São inacreditáveis:
Infinitos, incontáveis.
Há um momento em que eu te olho
E vejo que são prováveis
As histórias de amor.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Sub-linhando

Queria te escrever a mais bonita;
Poesia com laço de fita
E tudo o que - não só tens direito -
Mereces.
E aí a palavra carece:
Fico muda, e vivo.
Muda e viva
e tudo é tão fantástico
Espetacular
Escandaloso e belíssimo
Que te tornas ainda mais digníssimo
Do melhor versear.
Emudeço novamente.
E ainda com o desejo latente,
Deixo de lado.
Não é preciso sub-linhar
O que já tá consumado.