Sopa de letrinhas

Sopa de letrinhas

sábado, 11 de agosto de 2012

Vênus

O Vento vendeu vontades de
Voar por aí
Saltar do abismo Bonito
Desafiar o infinito

Eu comprei pagando caro
Jurando ser um barato
Fazer das nuvens meu lar
Fincar raízes no ar

Agora eu tô a fim
De visitar todo Mundo:
O Cruzeiro, as Marias...
Saturno sabe que eu viria

E no meio desse planetário
Descobri o que me guia:
Meu Vênus em Aquário.

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

No atalho


E no meio desse começo
Do fim,
Saio de fininho
E pego o atalho de retalhos
Dessa história “eu e você”
Só pra não doer
Tanto assim.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012


Nada.
Aqui dentro.
Se traduz.
Em nada.
Alguma coisa que
Eu
Não entendo
Você
Também não
E que não
Vem a ser
Nada.

Vamos compreender?
Nada.
Um abraço?
Nada.
Último beijo?
Nada.
E nesse monte de
Nada
Eu
Encontro
Alguma coisa que
Eu
Não entendo
Você
Também não
Mas que
Vem a ser
Alguma força.
Alguma forca?

A força que constrói é a mesma que destrói?

Pronto.
Uma palavra
Outra
Vomitada
E
Nada
Compreendido
Que o
Não
Compreendido
É a força
E
Não
A forca
Isto é
Não
Compreendido
Nada
Compreendi que
Nada
Foi suficiente.