Sopa de letrinhas

Sopa de letrinhas

sábado, 3 de junho de 2017

Não-eu

Eu-bicho:
Troca-troca de nicho,
Migração espontânea.
Alma cigana,
Vida-cigarra:
Canta e morre.
Alma que agarra,
Corpo de garras.

Eu-rio:
Troca-troca de águas,
Corrente de mágoas.
Condutor de barcos,
Contador de histórias.
Alma levada
Cara lavada
Dorso profundo.
Dor só afunda
Se não é transbordada.

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Presente

Me encontra ali, na Entrega.
Não sei de onde você vem
Nem pra onde a gente vai
Mas amo esse Presente
Cada vez mais.
No nosso entrelaço,
Os nós eu desfaço:
Te revelo em camadas.
Me livro das armaduras,
Cara e alma lavadas.
Afinamos as vontades,
Refinamos a sintonia,
Afirmamos a Verdade.
Me encontra aqui, no Agora
Onde o amor é prioridade.

terça-feira, 7 de março de 2017

Prazer em vê-lo, Destino

Será
Que tudo o que é
Era pra ser?
Prazer em vê-lo,
Destino.
Sigo seguindo
Seus passos.
Às vezes me atraso...
Sinto que te sinto,
Pouco decido.
Aonde eu tô indo?
Se te vejo,
Almejo;
Deixo fluindo.
Se passas por mim,
Me desespero.
Afinal,
O que é que quero?
Decidas por mim,
Decidido Destino.
Ou será que só és
O que és
Porque te decido?
Se assim for,
Desisto.
Desatino e ando
Sem decisão.
Sou eu quem mando
Em você, então?

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Paraíso Astral

Sonhos tão infantis...
Versus
Maturidade concreta.
Cadê as palavras sutis?
Já não preciso ser direta

Fichas caem:
Clareza das coisas que me atraem.
Ganho chaves:
Abrem-se as portas
Que realmente importam...

sábado, 28 de janeiro de 2017

Expurgo

Expurgo
O que não me cabe mais
Pelos poros
Pelos olhos
Pela boca
Como quem queima roupas
Que já não lhe servem

Expurgo
O que não me pertence mais
Pelos punhos
Pela voz
Pelo nariz
Como quem queima cartas
Que já não lhe falam

Expurgo
O que ainda me dói
Pelos olhos
Pelos poros
Pelos punhos
Como quem busca
Amadurecer

Vejo a noite cair,
Vejo o dia amanhecer.

Olho pra dentro e olho o mar.

E nada é maior
Do que o meu olhar.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Cheiro de novo

Entrei num carro Zero
E sinto cheiro de novo!
Vão me levar pra algum lugar
Que eu ainda não tenho ideia
O chofer não tem nome
Nem rosto
Nem rastro
Há no chão.
Parei num marco Zero,
Numa revolução.
De que lado eu fico?
Não é só Mal ou Bem;
Tem muito mais opção
É tanta gente
Eu tento me agarrar a alguém
Minha mente
Mais confusa que a confusão
Alguém me dá a mão
E corre comigo
Por alguma estrada
Como um chofer
De um carro Zero.
Sinto cheiro de novo,
De novo!
Meu corpo é de luz,
Minha alma é de louco.

Tempoespaço

O coração pula
Grita
Se mostra
E nenhuma palavra é posta.

Sinto
Choro
Penso
Se você ainda me gosta

Tudo vai
Vem
Volta
Com a dubiedade de uma aposta

É fim
É começo
É tempo
Que quase me enforca

Sinto

Choro

Engulo
Toda essa dor exposta.

domingo, 7 de agosto de 2016

Errante

Os erros cravados
No coração
E o sangue escorrendo
Pela alma.
"Calma..."
- diz a mente -
'Tudo é revertido
Em aprendizado!"
E eu remoo
O remorso;
Sofro
Pelo que já devia ter aprendido.
Arrependido,
O corpo procura abrigo.
Me entrelaço no laço,
O nó em cima do nó.
A vida fica um bagaço...
E o coração? Em mil pedaços
Quando me vê assim tão só...

terça-feira, 26 de julho de 2016

Plenitude

Não me venha com o raso:
Meu coração é fundo.
Sou prato cheio pro amor.
Pra nadar no meu mundo,
Pule de cabeça - por favor.
Não há perigo.
Tampouco falta de abrigo
Ou de espaço pra dor.

Não me venha com o raso:
Meu sonho é profundo.
Quando acordo, já tô dentro de você.
Só na pele eu não fico;
A carne não basta.
Sua alma é tão vasta...
E eu exploro até o fim.

Não me venha com o raso.
Não se segure nem meça.
É o total que me interessa.
Não sou de metades
- nem de quase cheios
ou quase vazios.
Prefiro transbordar.
Sou da plenitude
E da infinitude
Enquanto durar...

Despedida

Amor maior da minha vida,
Como falar em despedida?
Seu olhar tem paixão,
Ainda.
Seu cheiro tem ternura.
Quando foi que meu coração
Entrou numa sala escura?
Quer-se clarear,
Desejo o desejo.
Me recuso a encarar
Tudo aquilo que já vejo.
Então já veio o "Já vou":
Lágrimas nos olhos e,
Nas bocas, o beijo.
Eternizado.
Como nossa história.
Como nosso amor.
O maior da minha vida...